10 regras para o sucesso no escritório em casa – técnica de trabalho e auto-observação

A regra 6 = 4 e outras regras de acondicionamento entre o ecrã e o cesto da roupa

É novo no escritório em casa – bom. Faça-o durante mais tempo – depois enriqueça a sua experiência. A seguir, gostaria de resumir, com base em 10 regras, o que torna o escritório em casa mais fácil para si.

Portanto, vamos começar:

Regra 1 – Seja simpático consigo mesmo

  • Seja simpático para consigo mesmo. Estabeleceu um objectivo elevado, quer tenha de o fazer ou se tenha reformado voluntariamente: tenha cuidado consigo mesmo e com as exigências que lhe são feitas. Pois dificilmente poderá evitar-se a si próprio; estão intimamente ligados ao seu trabalho e à sua vida privada. Se assumir três dias de trabalho doméstico e dois dias no escritório como tempo máximo de trabalho doméstico; isto não é possível agora; tem cinco, mesmo um total de todos os sete dias da semana inteira para fazer por conta própria. Será que isto cria pressão ou stress? Reconhecer isto, admiti-lo; este é o pré-requisito para se poder relaxar de qualquer forma.

Regra 2 – Coordenação e planeamento

  • Encontre o seu horário de trabalho ideal. Se for livre de escolher o seu tempo de presença, terá a oportunidade de aprender sobre si próprio, quando e como pode praticar da melhor forma o seu próprio horário de trabalho. É uma criatura de hábitos – o mesmo pequeno-almoço e horário de trabalho todas as manhãs? É mais “criativo” e experimenta todos os dias quando chega o momento? De qualquer modo, terá agora a dura experiência de que não é tão fácil quando trabalha sem colegas e a sua família pode ainda lá estar – quando o espaço é apertado.
  • Coordene com a sua família ou colegas de quarto. Comunicar quando “trabalha” e que não é incomodado. Colar uma placa na porta se tiver um estudo. Escrever as horas de trabalho e escolher se a porta deve ser fechada. Comunicar se outros devem ficar calados durante certas horas. As crianças também respeitam os horários de trabalho, desde que se mantenham firmes e não respondam efectivamente durante esses horários.
  • Programar “pausas”, almoço e hora de encerramento. Se não o fizer, o trabalho ficará fora de controlo e os limites ficarão desfocados. Pronto estará num ciclo de stress permanente – isto é algo que deve evitar. Experimente que horas quer definir como tempo de trabalho: duração, pausas, etc.
  • Cumpra as suas regras: Sabe-se pela investigação de aprendizagem que as pausas devem, na verdade, ser tão longas como a investigação de concentração realizada antes disso. Está a ler correctamente: isto foi experimentado numa experiência escolar e os alunos aprenderam melhor do que os alunos no estilo convencional com pausas curtas. O princípio 1:1 é o que traz mais benefícios. Isto é especialmente verdade se se quiser trabalhar de forma criativa. Para uma produtividade sustentável, aplica-se o seguinte: levar as pausas a sério. Realmente sair: olhar pela janela, esticar os pés, libertar a cabeça, exercícios meditativos curtos. As pausas são importantes. Em qualquer caso. Sempre. Planear o suficiente. A regra geral é: 45 minutos é o tempo máximo que pode manter a sua atenção. Quinze minutos é tudo o que se pode fazer para se manter concentrado. Leve isto a sério. Não se sobreponha – e não se castigue. Se algo não funcionar e se estiver atrasado: aceite isso. Mesmo mau funcionamento ou problemas (IT!) são tempo de trabalho. Não acrescentar “mais” trabalho ao atraso porque algo não funcionou como planeado. Isto é difícil de suportar, mas cumpra as suas regras. Mesmo que lhe seja difícil. Valerá a pena. O castigo não funciona de todo em psicologia motivacional. Existe o perigo de uma espiral descendente de desmotivação e é muito mais difícil sair dela do que manter as suas próprias regras, mesmo que seja tentador no início “aguentar” durante meia hora porque houve um atraso. Por favor note: estamos a falar de um desempenho duradouro, que deve ser mantido. Este deve ser o objectivo.
  • Se também trabalha aos fins-de-semana é uma questão de experiência ou depende se a sua empresa também lhe dá as horas de trabalho no escritório em casa. O facto é: trabalhar também nos fins-de-semana é um assunto pessoal. É alguém que ama limites estritos? O melhor de tudo, isto é um pré-requisito para um equilíbrio entre a vida privada e o trabalho. Depois, deixar as coisas assim. Por outro lado, lida bem com o facto de ver os seus e-mails no fim-de-semana? Depois praticar isto cuidadosamente e continuar a fazê-lo até ser solicitado. Mas note, por favor: posso antes recomendar “trabalho de fundo” para o fim-de-semana, ou seja, nenhum trabalho activo em colaboração com outros. Portanto, ainda tem uma diferença em relação aos dias de semana. E por favor note: um fim-de-semana trabalhado irá aparecer com falta de concentração e cansaço na quarta-feira da semana seguinte, o mais tardar.

Regra 3 – Poder dos rituais

  • Use rituais: desenhe o seu local de trabalho – e se precisar de ser “arrumado” de novo depois, também – com artigos muito pessoais. Deixem vir à mente rituais, tais como um copo específico e uma bebida típica. Desta forma, marca a sua zona pessoal de trabalho. Podem também ser flores, um pisa-papéis, etc. E celebrar sucessos como a primeira semana de trabalho em casa, sucessos em termos de conteúdo, uma coexistência bem sucedida da vida profissional e privada. Nunca esquecer que é importante manter um equilíbrio entre o trabalho (em casa!) e a vida privada. Se possível, tornar o seu local de trabalho invisível quando o trabalho terminar. Dessa forma, pode desligar-se melhor.
  • A técnica do marcador (colocar objectos que significam algo) deriva da Psicologia Positiva e é também praticada por Maja Storch e o seu Modelo de Recursos de Zurique (zrm.ch)

Regra 4 – Construir flexibilidade

  • Mantenha-se flexível e ouça-se a si próprio: se tiver colocado a sua mira demasiado alta – mude e reduza o seu horário de trabalho. Ou escolher unidades mais curtas. Ver mais regras abaixo. Experimente padrões; descubra se quer praticar padrões fixos permanentemente ou se quer ir para fora quando o tempo está bom. Talvez viva um padrão diferente todas as semanas? Dependendo da previsão do tempo? Carregue este discurso consigo – decida em consulta consigo mesmo qual o modelo que irá utilizar e quando. Ficará grato se se ouvir a si próprio. E não fique zangado consigo mesmo para tomar decisões. Estes são bons. Respeite por si próprio as suas próprias decisões.

Regra 5 – Observar os tempos

  • Tenha consciência de que trabalhar sozinho no seu ambiente privado é um trabalho árduo. Tem agora menos distracção do que nos negócios. Imagine quanta “distracção” traz consigo um dia normal de trabalho: chegada espontânea, conversas espontâneas sobre café, reuniões, reuniões, almoços, etc. Isto é agora eliminado. Em vez disso: solidão de chumbo. É por isso que trabalhar sozinho é mais intensivo – se o fizer com concentração – do que trabalhar no escritório. Isto significa: a regra 4=6 Aceitar que quatro horas de trabalho dominadas sozinhas equivalem a 6 horas de trabalho no escritório. Assim é. Por isso, trabalha um pouco mais do que trabalharia no escritório.
  • Portanto, por favor note que não deve prolongar o seu horário pessoal de trabalho em casa, mas sim encurtá-lo. Caso contrário, entrará numa espiral descendente de stress e a motivação cairá exponencialmente. Agora mais do que nunca: menos é mais.

Regulamento 6 – Reconhecimento das prestações

  • O mais importante: Respeite-se a si próprio em todas as circunstâncias pelo esforço que faz. Reconheça incondicionalmente o seu desempenho. O maior perigo é que se jogue para baixo e se negue a sua seriedade e empenho. Especialmente se pensarmos que algo não está a correr como se pensa “deveria”. Vejam-se as regras anteriores: Relaxar, concentrar-se, planear de forma realista.

Regra 7 – Seguir intuições

  • Recolher intuições. É possível que, quando se trabalha sozinho, possam surgir ideias e associações. Utilize-os; aceite-os como inspirações que pode levar mais longe. Tome nota deles; mas não se esqueça de perceber as digressões como tal e de regressar aos objectivos do dia.

Regra 8 – Iniciar a auto-observação

  • “Jornalismo”. O que é que isso significa? Auto-observação através de diário; ou diário de bordo, se isso soar melhor. Vale a pena observar os seus sentimentos de entusiasmo ou frustração no trabalho. Basta anotar as suas observações; no trabalho ou depois. No sentido de “senti-me cansado no início, mas depois entrei bem no trabalho” ou: “vários distúrbios; não entrei realmente; no fim do tempo de trabalho, sentindo que não tinha feito nada”. Por que razão deve fazer isto? Através de uma prática mais longa desta revista, ganhará experiência sobre o seu próprio trabalho. Valores que confirmarão que “a chuva é seguida pelo sol”, para o dizer de forma trivial. Reconhecerá padrões e começará a sentir a certeza de que vale a pena cumprir as suas regras e avançar sempre à frente. Isto torná-lo-á mais resiliente para lidar com sentimentos de insatisfação e seguir em frente.
  • Dica adicional: Reconheça a “frustração”, mas abstenha-se definitivamente de castigos!

Regra 9 – Trabalho de planificação adequado

  • Fazer uso das regras da tecnologia do trabalho. Estes são: dividir o seu trabalho em porções e dividi-los em vegetais suplementares (administrativos, por exemplo) e dossiês principais. Também se fala de coisas importantes e sem importância. Escolha aqui as suas próprias palavras.
  • Marcar compromissos por trás e visualizar os recursos disponíveis. Neste caso: o seu tempo de trabalho disponível. Por isso, planear com alguns meses ou semanas de antecedência. Verá o que é “importante” porque tem de ser concluído num determinado momento. Planeie o tempo (horas) necessário para isso com base no tempo de trabalho semanal que tem disponível. Desta forma, as semanas e os dias vão-se encher. Partindo de objectivos que estão a várias semanas de distância, terá o que quer ou deve fazer todos os dias. Parcelar mais para fora em horas ou meia hora. Mas vagarosamente; isto pode ser prolongado ou encurtado. Mas vê o que deve fazer todos os dias. Todas as manhãs, pense no que tem de fazer hoje; já deve ter criado a visão geral do seu planeamento semanal no início da semana. Estou a falar do princípio do paradoxo das regras. Trata-se de nada menos que a questão filosófica de saber se alguém é mais livre, se não tem regras ou se se submete a regras. Adivinhou: a opinião aqui defendida é: um quadro de regras alivia o fardo e liberta-o assim de coisas novas e belas. Repare no quanto a “irregularidade” promove o sentimento de estar sobrecarregado e de se perder a si próprio. No âmbito das “suas” regras, experimenta-se a si próprio como um mestre das suas capacidades.
  • Plano para outras coisas, tarefas repetitivas ou tarefas que precisam de ser feitas de forma contínua. Assim, tem uma visão geral do que é devido quando.
  • É favor notar a regra dos 30%. É isso mesmo. Um bom conselho é: nunca planeie 30% do seu tempo de trabalho, porque esta parte é reservada para trabalho não planeado. Ficará grato por esta previdência e evitará as rondas de penalização para si próprio, que apenas desmotivam. Aqui tem de combater um mito de que é “bom” quando a sua agenda está cheia. Isto não é verdade, pois todos os que têm de trabalhar horas extra quando a sua agenda está cheia sabem, porque não tiveram em conta a preparação e o acompanhamento das reuniões. Por todos os meios, deixe algum espaço – verá; enche-se e esse preenchimento.

Regra 10 – Conhecer objectivos e direcção

  • Observar o princípio do fluxo. Mihaly Csikzentmihalyi (sem os apóstrofos originais do húngaro), um investigador americano de ascendência húngara, já nos anos 80 trouxe o princípio do fluxo ao ponto. Ele queria saber como surgiu o fenómeno a que chamamos “fluxo”. Alguém se absorve em algo e experimenta desta vez como altamente satisfatório. O fluxo pode ser explicado por três factores. O princípio do fluxo significa:
  • Formularam objectivos
  • Estes objectivos são adequadamente desafiantes: nem sobreconcertação nem sub-concertação.
  • Experimente o curso da realização de objectivos; “controle” você, olhe para trás. Regozije-se com o que conseguiu.
  • Desta forma, tem a oportunidade de entrar no fluxo satisfatório. Decide sobre o seu trabalho e não é determinado por outros. Isto também funciona quando se tem objectivos “controlados externamente”. Ao decompor-se e uma medida realista de cumprimento dos objectivos, ainda se pode ganhar vantagem aqui.

Sinta-se à vontade para olhar mais frequentemente para estas dicas. Talvez tudo seja demasiado ao mesmo tempo. Experimente um ambiente de trabalho descontraído no seu escritório em casa com estas dicas. Boa sorte!

Führungscoach, Sparring-Partnerin für Kommunikations- und Teamförderung, Dozentin, Moderatorin, NEW-WORK-Speakerin Ich bin eine kommunikationsstarke & mehrsprachige Macherin mit Freude am Teilen von Erfahrung. Ich schöpfe aus einem reichen Netzwerk an innovativen & starken Persönlichkeiten. Ich begleite Teams in ihrer Entwicklung für klare Kommunikation & berate bei Führungs- und Diversity-Fragen. Spezialgebiete sind Neue Arbeitswelt (Kompetenzen & organisationaler Wandel) & der Umgang mit Wissen. Meine Vision Brücken bauen und gemeinsam Neues lernen.

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

MoreThanDigital Newsletter
Subscribe
Join the #bethechange community
close-image