Rendimento Básico Incondicional – Um exemplo com Blockchain

Como a cadeia de bloqueios pode apoiar o rendimento básico incondicional explicada, com um exemplo

Rendimento Básico Incondicional - Um exemplo com Blockchain

A digitalização e as tecnologias modernas podem tornar possível um rendimento básico incondicional. Isto é explicado aqui através de um exemplo que também mostra às empresas como seguir novos caminhos com a digitalização e como implementar novos modelos de forma convincente e rentável.

Encontrei recentemente um artigo sobre o tema do rendimento básico, que contrasta o rendimento básico com a digitalização. Como empresário independente, sou um apoiante do rendimento básico, mas nunca considerei até agora a ligação entre o rendimento básico e a digitalização sob esta perspectiva. Agora, contudo, gostaria não só de partilhar este pensamento aqui, mas também de o levar mais longe: Apoio ao rendimento básico com a ajuda da digitalização.

Porquê um rendimento básico?

No artigo acima mencionado, é mais uma vez deixado claro que muitos empregos serão perdidos através da digitalização e deixarão de existir no futuro. Os negócios e a política estão a espalhar o medo e o terror com esta mensagem, o que leva a que muitos trabalhadores não vejam a digitalização como uma oportunidade, mas como um inimigo. O artigo, por outro lado, mostra que, com a ajuda de um rendimento básico, os trabalhadores precisam menos de temer pela sua existência. Graças a um rendimento básico mínimo, os custos de vida mais importantes podem ser cobertos e, assim, o medo existencial do empregado pode ser retirado, até certo ponto. Isto dá-lhes a oportunidade de criarem uma nova fonte de rendimento, por exemplo, através de uma educação superior, o que custa tempo e dinheiro.

Mas não só os trabalhadores com estes receios podem ser ajudados com um rendimento básico. Além disso, os empresários jovens e inovadores que queiram tirar partido da digitalização e das suas oportunidades podem utilizar o rendimento básico para realizar as suas ideias e assim apoiar a economia com novos modelos de negócio. Também aqui, o rendimento básico ajuda a cobrir os custos de vida mínimos do empresário.

Naturalmente, estou ciente de que o nosso mundo não consiste apenas em trabalhadores honestos e empresários inovadores. As pessoas que não têm nem o sentido nem a vontade de trabalhar receberiam o rendimento básico a que têm direito da mesma forma com a abordagem de hoje e poderiam gastá-lo para outros fins.

Regulamentação do rendimento básico utilizando a tecnologia da cadeia de bloqueios

A fim de evitar o uso indevido do rendimento básico incondicional, devem ser determinadas e implementadas regras apropriadas. Esta é certamente uma tarefa para políticos e representantes de empregados e empregadores. No entanto, a questão é como é que estas regras podem não só ser implementadas na realidade, mas também como é que o seu cumprimento pode ser assegurado? No que diz respeito ao MoreThanDigital, já foram relatadas várias possibilidades de utilização da tecnologia de cadeias de bloqueio (Blockchain). Foram descritas várias aplicações do sector público e a utilização da tecnologia de cadeias de bloqueio também pode encontrar uma abordagem inovadora em relação ao rendimento básico. Os chamados contratos inteligentes são utilizados para este fim. Um contrato inteligente é um contrato de opção entre dois parceiros anónimos, que é armazenado como código na cadeia de bloqueio. Um evento pré-definido torna o contrato válido e assim o código é executado. Isto permite aos reguladores utilizar a cadeia de bloqueio para compreender e regular a actividade no mercado, mantendo ao mesmo tempo o anonimato de um indivíduo.

Um estudo de caso

Para uma melhor compreensão da aplicação com a tecnologia Blockchain para rendimentos básicos incondicionais, gostaria de ilustrar isto com um estudo de caso.

Vamos assumir que uma regra para o rendimento básico incondicional é que um certo montante deve ser utilizado para a utilização do seguro de saúde obrigatório. Cada pessoa que foi qualificada para o rendimento básico incondicional recebe um contrato inteligente correspondente na cadeia de bloqueio pessoal, chamemos-lhe aqui a GK-Wallet. O contrato inteligente é agora programado na cadeia de bloqueio de tal forma que quando o prémio mensal do seguro de saúde tiver sido pago, o montante de, digamos, CHF 200 é transferido para a conta do titular da GK-Wallet. O cidadão paga agora o prémio à companhia de seguros de saúde, que confirma o seu recibo. Esta confirmação é, por sua vez, escrita à cadeia de bloqueio do titular da GK-Wallet, uma entrada imutável e autenticada. Isto preenche a condição do Contrato Smart e o pagamento de CHF 200 à conta é desencadeado.

Com este sistema muito simples, pode agora assegurar-se que cada cidadão utiliza o rendimento básico para o benefício original, nomeadamente o custo de vida. O cidadão é ainda livre de escolher o seguro de saúde que melhor se adapte às suas necessidades e de acrescentar outros seguros complementares, caso o deseje fazer. O montante que lhe é devido e pago é sempre o mesmo e só é pago se ele tiver cumprido as suas obrigações.

 

Esta abordagem não só ajuda o cidadão individual, como também liberta o Estado de tarefas de controlo onerosas e pode ter a certeza de que as regras e expectativas pré-determinadas não são abusadas. Esta abordagem também ilustra as possibilidades de as empresas utilizarem a digitalização e tecnologia de ponta para implementar novas abordagens e modelos de uma forma rentável e convincente.

Uma situação vantajosa para todos, graças à digitalização.

Priska hat über 15 Jahre in der Finanzindustrie gearbeitet, wo sie nationale und internationale IT-Projekte für Großbanken mit großem Erfolg geleitet hat. Ihre Karriere in der IT-Welt begann sie als Quereinsteigerin in die Software Entwicklung. Ihre Fähigkeiten und ihr Fachwissen ermöglichten es ihr, nicht nur für internationale Projekte zu arbeiten, sondern auch in Hong Kong verschiedene Rollen im Projekt- und Produktmanagement zu übernehmen. 2016 verließ sie die Finanzindustrie, um sich auf den Aufbau ihres eigenen Unternehmens zu konzentrieren. Als Geschäftsführerin SKILLS FINDER AG und von TechFace setzt Priska ihre Erfahrung, ihr Wissen und ihre Leidenschaft ein, um Frauen zu unterstützen eine zielgerichtete Karriere in der Technologiebranche zu verfolgen, und sie mit Unternehmen zu verbinden, die sich für Vielfalt und Integration einsetzen. Darüber hinaus half sie beim Aufbau von "Girls in Tech Switzerland", einer globalen Non-Profit-Organisation mit dem Ziel, Frauen für die Tech Industrie zu gewinnen und zu halten.

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More